RECONTANDO HISTÓRIAS NA ESCOLA - GÊNEROS DISCURSIVOS E PRODUÇÃO DA ESCRITA

(ref.: 9788533617551)

Autor: Sandoval Nonato Gomes-Santos
Editora: Martins Fontes
Coleção: Texto e linguagem
Ano: 2003
Número de páginas: 165
Categoria Principal: Psicologia e Educação

  • Compartilhe:
R$ 44,90 R$ 43,80
Coloque o cep:
  • Sinopse
  • Sumário

Esta obra tem por objetivo, caracterizar os modos da relação dialógica que escreventes-alunos estabelecem com a linguagem no evento escolar de produção da escrita - 'recontando histórias'. O autor recorre, para tanto, ao conceito de gênero discursivo, na esteira de M. Bakhtin. A proposta é compreender os modos de circulação dialógica pelos gêneros que atingem um funcionamento particular no momento em que os escreventes são convidados a recontar histórias. Trata-se de um questionamento instigante, que torna a leitura deste livro extremamente produtiva e agradável para todos aqueles que se interessam por questões de ensino e de linguagem.

Agradecimentos XI                                                                                                                      Apresentação XIII                                                                                                                            Introdução 1

Capítulo 1 Os estudos sobre aquisição e ensino da escrita no Brasil: gêneros discursivos e escrita 9                       1.1 Problematizando o conceito de gênero discursivo 16                                                                               1.1.1 Para uma abordagem didático-pedagógica do conceito de gênero: escolarização e normatizaçõ legal 23                                                                                                                                                         1.1.2 As percepções do "Grupo de Genebra" 25

Capítulo 2 Para uma conceituação de gênero discursivo: gêneros, acontecimento enunciativo e circulação imaginária 31                                                                                                                                              2.1 Dialogia, gêneros discursivos e estilo em Bakhtin 31                                                                            2.2 O enunciado concreto e o conceito de gêneros do discurso 33                                                            2.3 Os gêneros do discurso e o problema do estilo 34                                                                                2.4 Uma interpretação do conceito de gêneros em Bakhtin: algumas considerações complementares 36                                                                                                                                                      2.5 Da conceituação 39                                                                                                                              2.6 O conceito de transparência semiótica em Sercovich 41                                                                      2.7 O conceito de identificação imaginária em Pêcheux 44                                                                        2.8 O modo heterogênero de constituição da escrita 48 

Capítulo 3 Recontando histórias - um evento de produção escolar da escrita 53                                                       3.1 O que é "recontar um história": a narratividade como princípio enunciativo 63                                     3.2 A constituição do corpus 67                                                                                                                   3.3 O tratamento dos dados 68                                                                                                                   3.4 O paradigma indiciário como referencial metodológico no tratamento dos dados 70                           3.5 Para uma caracterização enunciativo-discursiva dos gêneros 75                                                            3.5.1 De princesas, meninas, lobos e cobras: considerações sobre os gêneros "contos de fadas" e "lendas"  77                                                                                                                                                        3.5.2 Os gestos enunciativos do professor e o gênero instruções para a atividade de produção escrita 86                                                                                                                                                            3.5.2.1 "De quando Chapeuzinho tornou-se Amarelo e o lobo virou bolo": recontando as histórias de "Chapeuzinho Vermelho" e de "Chapeuzinho Amarelo" 87                                                                           3.5.2.2 " De quando a Índia tornou-se Cobra": recontando a lenda "A Cobra Grande" 90                    3.6 Síntese complementar 94                                                                                                                      3.7 Uma últma parada 96 

Capítulo 4 Os gestos enunciativos indiciados nos produtos:os textos produzidos 99                                               4.1 Modos de circulação dialógica pelo gênero instruções 99                                                                       4.1.1 Recontando os contos "Chapeuzinho Vermelho" e "Chapeuzinho Amarelo": o gênero instruções e os textos produzidos 101                                                                                                                         4.1.2 Recontando a lenda "A Cobra Grande": o gênero intruções e os textos produzidos114                   4.1.3 Quadro-síntese da análise 124                                                                                                           4.1.4 Síntese complementar 125                                                                                                               4.2 Modos de circulação dialógica nas marcas linguísticas 130                                                                   4.2.1 Marcas que indiciam a circulação dialógica pela tradição oral 130                                                     4.2.1.1 Marcas que remetem à temporalidade indefinida da tradição oral 130                                           4.2.1.2 Marcas que remetem a um modo particular de configuração sequencial das histórias contadas 133                                                                                                                                                 4.2.2 Marcas que indicam a circulação dialógica pela institucionalização da tradição oral por meio da escrita e da escola 139                                                                                                                                     4.2.2.1 O escrito em seu caráter genético 139                                                                                           4.2.2.2 O escrito como código institucionalizado 145                                                                               4.2.3 Quadro-síntese da análise 147                                                                                                           4.2.4 Síntese complementar 148

Capítulo 5 Obserações finais 149

Bibliografia 161

quem comprou, também comprou
FICAR COM RAIVA NÃO É RUIM - COLEÇÃO TERAPIA INFANTIL
Escolha a quantidade
No momento a quantidade solicitada n?o esta dispon?vel em estoque
DIVIRTA-SE COM SEGURANÇA - COLEÇÃO TERAPIA INFANTIL
Escolha a quantidade
No momento a quantidade solicitada n?o esta dispon?vel em estoque
SEJA A ESTRELA QUE VOCE É - COLEÇÃO TERAPIA INFANTIL
Paulus
R$ 22,00 R$ 13,20
(Economize: R$ 8,80)
Escolha a quantidade
No momento a quantidade solicitada n?o esta dispon?vel em estoque

    FORMAS DE PAGAMENTO

    REDES SOCIAIS